quinta-feira, 23 de junho de 2011

Vamos nos movimentar? Michele Obama incentiva!

Matéria extraída do Blog da Gisele: http://blog.giselebundchen.com.br/sentido/vamos-nos-movimentar-michele-obama-incentiva/?idIdioma=1
22 de junho de 2011 por Equipe Übersite
A nova rotina adotada por milhares de pessoas ao redor do mundo tem gerado consequências preocupantes quanto à qualidade de vida do indivíduo. Atividades físicas, boa alimentação e cuidados com a saúde são hábitos que têm entrado em declínio, preocupando diversos especialistas sobre o futuro das próximas gerações.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o novo comportamento das pessoas e os novos hábitos alimentares são frutos de processos de industrialização, urbanização, desenvolvimento econômico e crescente globalização no mercado de alimentos. O consumo de alimentos de grande teor calórico, como o fast food, por exemplo, tem se tornado cada vez mais comum. Atividade física e alimentação saudável ajudam não só a prevenir doenças crônicas, mas também a obesidade. Segundo especialistas, esta será a primeira geração de crianças que crescerá menos saudável que seus pais.
Pensando nisso, a primeira dama dos Estados Unidos, Michele Obama criou a fundação Let’s Move(Vamos nos movimentar, em tradução livre), para que as crianças nascidas agora possam ter um futuro mais saudável, ao estimular uma mudança de comportamento e reduzindo os fatores de risco da população. As ações da iniciativa são: apoiar e introduzir a alimentação saudável nas escolas, tornar o preço dos alimentos mais acessíveis e aumentar a atividade física nos locais de ensino. Em seu primeiro ano, a Fundação alcançou vários de seus objetivos e não pretende parar por aí.
Garanta um futuro melhor para as próximas gerações. A Let’s Move ensina cinco estratégias que podem ajudar. Acesse o site oficial da Fundação e faça a sua parte!

Três Conselhos


Caminho da Praia Brava/ Itajaí/ SC
Recebi esta mensagem por Email,  gostei e estou postando no blog, em razão de seu conteúdo ser de grande proveito para iluminar nossos caminhos!
Beijos
Flaviana Jacqueline (Jackie) Régis 
      (Autor Desconhecido)
     
        Um casal de jovens recém-casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:

     "Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu serei fiel a você. " 


     Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda.
     O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito.

     O pacto foi o seguinte:

     "Me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações.
     EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO. Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora.
     No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".
          
     Tudo combinado.    
     Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.
     Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:
     "Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa." 
          O patrão então lhe respondeu:
          "Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem?
          Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS e não lhe dou o dinheiro e você vai embora.
          Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos; se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro.
          Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta. 

     Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe: "QUERO OS TRÊS CONSELHOS."
     O patrão novamente frisou: "Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro."
     E o empregado respondeu: "Quero os conselhos." 



     O patrão então lhe falou:
 1. NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida. 
     2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.
     3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.
     Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:
     "AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, estes dois são para você comer durante a viagem e este terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa.“
     O homem então, seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele
tanto amava.

     Após primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou: "Pra onde você vai?“
     Ele respondeu: "Vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada." 
     O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez,
e você chega em poucos dias...“
     O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho ( NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida, então voltou e seguiu o caminho normal.
     Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.

     Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se. 
     Pagou a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.
     De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor. Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.
     Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho (NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal).
     Voltou, deitou-se e dormiu.    
     Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia escutado gritos durante a noite, e ele respondeu que sim.
     O hospedeiro perguntou-lhe se não estava curioso a respeito, e ele respondeu que não..
     O hospedeiro prosseguiu: “VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite... e quando
o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.”
    
     O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.
     Depois de muitos dias e noites de caminhada... Já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.
     Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só.
     Andou mais um pouco e viu que ela tinha entre as pernas, um homem a quem estava acariciando
os cabelos...
     Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.
    Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho (NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais).
     Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.
     Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele pensou: 

"NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.
     Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.
     Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".
     Dirigiu-se à porta da casa e bateu.
     Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.
     Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então, com lágrimas nos olhos lhe diz: "Eu fui fiel a você e você me traiu..."
     Ela espantada lhe responde: "Como? Eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos!"
     Ele então lhe perguntou: "E aquele homem que
você estava acariciando ontem ao entardecer?"
     "AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO. Quando você foi embora, descobri que estava grávida. Hoje ele está com vinte anos de idade.“
     Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.
     Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.
     APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO, COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e, ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação!  
     Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...
     Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...
     Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois....
     Espero que você, assim como eu, não se esqueça desses três conselhos e que, principalmente, não se esqueça de CONFIAR em Deus... (mesmo que a vida, muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiança).


sexta-feira, 17 de junho de 2011

Participação no Progama Variedades com Você/ TVBE


PROGRAMA VARIEDADES COM VOCE 13/06/2011

Sou Flaviana Jacqueline Régis (Jackie) e faço parte dos empreendimentos de economia solidária do CEPESI/ Itj. Sou artesã e atualmente trabalho na confecção de produtos artesanais de uso terapêutico. Hoje, no programa, estarei apresentando um passo-a-passo de "FUXICO DE CHEIRO", produto que pode ter várias versões em seu "recheio", podendo ser utilizado para:
  • ·         perfumar gavetas e armários, ambientes em geral,
  • ·         pode ser usado como alívio para congestões nasais e dores de cabeça e,
  • ·         para os supersticiosos, pode ser usado para atrair amor, dinheiro, sorte...


Tudo depende do conteúdo do "sachê", que pode ser desde raspas de sabonete, sagú aromatizado, serragem aromatizada e/ou especiarias e ervas aromáticas!
Uma técnica facílima que traz ao cenário atual uma  tradição cultural e que, nos dias de hoje, pode ser vista como uma prática SUSTENTÁVEL de ARTESANATO CONSCIENTE, visto que utiliza resíduos têxteis (retalhos), dando aos mesmos uma destinação adequada e útil! 

Sobre a técnica do fuxico: técnica artesanal feita com retalhos, linha, agulha, criatividade e paciência.E como o próprio nome da técnica sugere, o fuxico tem mesmo ligação com os mexericos. Nas pequenas cidades do Brasil, as mulheres costumavam se reunir para costurar e enquanto isso conversavam sobre a vida, "fuxicando", fofocando. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, a técnica não é genuinamente nacional e tem origem desconhecida. Acredita-se que chegou ao país trazida pelos portugueses e espanhóis no século 19, e suas manifestações mais fortes podem ser vistas em estados como Minas Gerais, Bahia e Pernambuco. Curiosamente, o fuxico também pode ser encontrado em países como o Tibete, o Vietnã e a África do Sul em formatos variados, mas com o mesmo fundamento das trouxinhas costuradas. Versátil, ele pode ser peça de decoração ou de moda, mas é um artesanato altamente delicado. Quem estiver disposto a aprender a técnica deve gostar de trabalhos manuais e ter habilidade, cuidado e estar atento às minúcias.

Sobre a prática sustentável: Nossa região é rica em resíduos têxteis(retalhos) em função da significante quantidade de indústrias têxteis e de produção têxtil, responsáveis por uma enorme quantidade de resíduos que muitas vezes são incinerados ao ar livre ou pior, acabam parando em aterros sanitários ou lixões.

Sobre artesanato consciente: Dentro da Rede de Economia Solidária, a prática artesanal tem fundamentos sustentáveis, regidos pelos princípios do Comércio Justo.

Sobre o Comércio JustoO Comércio Justo (CJ) é um movimento social e económico que pretende construir uma alternativa ao comércio convencional. Ao contrário deste, que tem em conta apenas critérios econômicos, o Comércio Justo rege-se também por valores éticos que incluem aspectos sociais e ambientais. Significa colocar o comércio, quer de produtos quer de serviços, efetivamente ao serviço das pessoas, buscando o desenvolvimento sustentável das comunidades locais e do mundo como um todo. O que implica, antes de mais nada, um trabalho digno para todas as pessoas envolvidas e a adequação das atividades económicas às suas necessidades e aos seus interesses.
ECONOMIA SOLIDÁRIA

A Economia Solidária constitui o fundamento de uma globalização humanizadora, de um desenvolvimento sustentável, socialmente justo e voltado para a satisfação racional das necessidades de cada um e de todos os cidadãos da Terra seguindo um caminho intergeracional de desenvolvimento sustentável na qualidade de sua vida.

- O valor central da economia solidária é o trabalho, o saber e a criatividade humanos e não o capitaldinheiro e sua propriedade sob quaisquer de suas formas.
- A Economia Solidária representa práticas fundadas em relações de colaboração solidária, inspiradas por valores culturais que colocam o ser humano como sujeito e finalidade da atividade econômica, em vez da acumulação privada de riqueza em geral e de capital em particular.
- A Economia Solidária busca a unidade entre produção e reprodução, evitando a contradição fundamental do sistema capitalista, que desenvolve a produtividade mas exclui crescentes setores de trabalhadores do acesso aos seus benefícios.
- A Economia Solidária busca outra qualidade de vida e de consumo, e isto requer a solidariedade entre os cidadãos do centro e os da periferia do sistema mundial.
- Para a Economia Solidária, a eficiência não pode limitar-se aos benefícios materiais de um empreendimento, mas se define também como eficiência social, em função da qualidade de vida e da felicidade de seus membros e, ao mesmo tempo, de todo o ecossistema.
- A Economia Solidária é um poderoso instrumento de combate à exclusão social, pois apresenta alternativa viável para a geração de trabalho e renda e para a satisfação direta das necessidades de todos, provando que é possível organizar a produção e a reprodução da sociedade de modo a eliminar as desigualdades materiais e difundir os valores da solidariedade humana.

FUXICO DE CHEIRO
Produzido com retalhos de tecido, resgatando a antiga técnica artesanal de fazer fuxicos (pequenas trouxinhas), recheados com sagu (fécula) aromatizado com essências deliciosas e colorido artificialmente.
Sua utilização em gavetas,armários ou em carros, proporciona uma aromatização suave  que tem durabilidade de até seis meses.

ALECRIM: Melhorar o humor, confiança, força, coragem, inspiração, liberação, casamentos.
ARRUDA: Consagração, boa sorte, amor e proteção psíquica.
ALFAZEMA: Consagração, adivinhação, harmonia, proteção, ótimo purificador contra mau olhado.
CAMOMILA: Acalma o sistema nervoso e apazigua os ânimos e fofocas.
CANELA: Inspiração, proteção, consagração e sabedoria.
CRAVO: Adivinhação, expulsar forças negativas, deter fofocas.
ERVA DOCE: Confiança, coragem, fertilidade, amor, força.
LARANJA: Boa sorte, felicidade e prosperidade.
ROSAS: Harmonia, longevidade, paz, tranqüilidade e casamentos.


Para fazer o sachê você deve colocar em cada círculo de algodão, pedadichos de giz, cascas de laranja seca, a canela e o cravo. Amarre com a fitinha de modo a fazer uma pequena trouxa e está pronto o sachê.

Outras essências recomendadas para o quarto: 
Lavanda: 
analgésico, relaxante, antidepressivo e sedativo 
Patchuli: afrodisíaco 
Gerânio: calmante, sedativo e antidepressivo 
Sândalo: afrodisíaco 
Cedro: relaxante e sedativo 
Ilangue-ilangue: afrodisíaco e antidepressivo 

Outras essências recomendadas para a sala: 
Tangerina
: relaxante 
Gerânio: calmante, sedativo e antidepressivo 
Lemongrass: calmante 
Lima: energizante e revitalizante 
Grapefruit: restaurador 

Outras essências recomendadas para a cozinha: 
Alecrim
: energizante 
Manjericão: sedativo 
Lemongrass: calmante e sedativo 
Laranja: calmante 
Hortelã: estimulante e revigorante 

Outras essências recomendadas para o banheiro: 
Hortelã: estimulante e revigorante 
Eucalipto: estimulante e refrescante 
Pinho: estimulante 
Pitanga: calmante infantil 
Maracujá: calmante 

DORES DE CABEÇA: pó de café
CONGESTÃO NASAL: menta, eucalipto, alecrim


Adriana Lamim, Eu, Rineda (Apresentadora) e Dani (Dani Doces e Biscuit)

Arrumando a mesa para a apresntação

Arrumando a mesa para a apresentação

Com Rineda, falando sobre o Fuxico de Cheiro

Aguardando o momento da apresentação

Tradição e beleza: a união de culturas no artesanato catarinense




Um exemplo de bilro
Não é só pelas belezas naturais que o estado catarinense é conhecido. Várias riquezas originadas a partir da cultura trazida pelos portugueses e por outras nacionalidades também compõem os atrativos da região. Em Florianópolis a prática do artesanato é um primor à parte, já que mescla modernidade à tradicional cultura açoriana, perpetuada de geração em geração. Antiguidades, mosaicos, trabalhos em palha, cestaria, cerâmica figurativa ou trançados de fibras naturais, pinturas e entalhe em madeira são algumas das inúmeras formas artesanais encontradas na ilha da magia. A renda de Bilro e a cerâmica são alguns exemplos das formas artísticas praticadas no estado.
Também conhecida como renda de almofadas, a renda de bilro foi originada no século XV na Itália, espalhando-se posteriormente por toda a Europa. Foram os imigrantes portugueses os responsáveis por trazer a técnica ao Brasil. Os bilros, pequenas peças de madeira, são manejados simultaneamente e aos pares, para dar forma ao produto final, que podem ser capas para almofadas, roupas, cobertores, entre outros. Além disso, a renda tramóia e renda de arco, também executadas com o auxílio de bilros, são outras técnicas conhecidas em Florianópolis. Os bairros Lagoa da Conceição, Ingleses, Campeche, Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha são alguns dos pontos turísticos da cidade onde é possível conferir o trabalho das rendeiras.
Já as cerâmicas aqui produzidas utilizam um sistema de fabricação semelhante ao comumente utilizado nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. A modelagem do objeto a ser feito é executada pela experiência e dedicação das mãos do oleiro, produzindo o que há de mais bonito, tendo como base um simples material, o barro. Tanto os trabalhos em cerâmica quanto em renda são mais facilmente encontrados no litoral catarinense.

A artesã Maria de Fátima lida com a arte em vidro há dez anos
Com o passar dos anos, outras culturas foram agregadas ao artesanato local. Um exemplo é a arte de vidro a fogo, técnica italiana que dá formas diversas à matéria-prima. A artesã Maria de Fátima já lida com esse tipo de arte há dez anos. Natural de Laguna, Maria aprendeu a criar objetos em vidro com o auxilio de seu cunhado, que aprendeu com italianos. Miniaturas de bichos, bijuterias e objetos de decoração são algumas das criações da artesã que expõe suas obras na Alfândega diariamente.
Outros materiais também servem de base para a elaboração de lindas peças artísticas. Laura Pieri, Uruguaiana radicada em Florianópolis há trinta anos, usa o couro como base de suas pinturas. Mapas, retratos, imãs, marcadores de livro, chaveiros entre outras peças são criados sobre o couro, ganhando cor e vida. Para ela, o artesanato é fonte de sobrevivência e criatividade. “Meu trabalho é voltado para o turismo e vivo a partir de minha arte. Recebo muitos pedidos de encomenda e posso dizer que tenho como fonte única de renda o fruto de minha criatividade”, declara.

Laura Pieri usa o couro como base de suas pinturas
Várias feiras de artesanato podem ser visitadas em diversos cantos do estado. Em Florianópolis alguns pontos são mais visitados, entre eles a feirinha da Praça na Lagoa da Conceição, aos finais de semana; na Beira-Mar Norte, aos domingos; das Alfaias em Santo Antônio de Lisboa, também nos fins de semana; da praia dos Ingleses, mais restrita (um sábado sim, outro não); a feira no Ribeirão da Ilha (em frente à Igreja Matriz Nossa Senhora da Lapa, nos sábados e domingos, das 11h às 20h) e a Feira do Artesão Produtor, no centro, todas quartas e sextas-feiras. No prédio da Alfândega ao lado do Mercado Público também são disponibilizados produtos artesanais locais. Vale à pena conhecer um pouco mais dos encantos que a ilha da magia tem a oferecer!

RECICLAGEM DE ELETRO-ELETRÔNICOS NO RIO DE JANEIRO


Reportagem interessante sobre a reciclagem de Eletro-Eletrônicos no Rio de Janeiro.
G1 - BDRJ Meio Ambiente: Saiba onde doar equipamentos de informática - notícias em Rio de Janeiro
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/06/bdrj-meio-ambiente-saiba-onde-doar-equipamentos-de-informatica.html

Sem o descarte correto, as peças e equipamentos de aparelhos elétricos e eletrônicos podem causar sérios danos à saúde e ao meio ambiente. A reciclagem desse lixo, além de fazer bem a natureza, pode também se transformar em oportunidades para a população mais carente.
Para tentar contornar o problema com esse tipo de lixo empresas e organizações não governamentais tentam dar um destino ecologicamente correto para esse material, como é o caso do Comitê para a Democratização da informática (CDI).
Pioneiro na inclusão digital na América Latina, o CDI é uma organização social com sede no Brasil. O objetivo é levar inclusão digital a comunidades de baixa renda através do uso da Ecnologias da Informação e Comunicação (TICS). E como parte do projeto, o CDI faz um trabalho de reciclagem de peças de computadores antigos. O objetivo é transformar o que seria descartado no lixo em novas máquinas, produtivas para a inclusão digital de milhares de crianças e jovens.
Quem quiser doar equipamentos de informática para o CDI pode entrar em contatos pelos telefones (21) 3235-9450 e 2201-7770 ou pelo site www.cdi.org.br

Poema da Noite



Já chorei vendo fotos e ouvindo musica;
Já liguei só para ouvir uma voz;
Me apaixonei por um sorriso;
Já pensei que fosse morrer de saudade;
E tive medo de perder alguem especial... (e acabei perdendo)
Já pulei e gritei de tanta felicidade;
Já vivi de amor e fiz muitas juras eternas... "quebrei a cara muitas vezes!"
Já abracei para proteger;
Já dei risadas quando não podia;
Já fiz amigos eternos;
Amei e fui amado;
Mas tambem já fui rejeitado;
Fui amado e não amei...
Charles Chaplinhttp://pensador.uol.com.br/charles_chaplin_poemas_sobre_a_vida/

terça-feira, 14 de junho de 2011

AROMATERAPIA

Flaviana Jacqueline (Jackie) Régis
aromaterapia, praticada há milhares de anos é, tal como o seu próprio nome indica, uma terapia que cura através dos aromas – aromas 100% naturais, extraídos de flores, raízes, folhas, sementes, ervas, madeiras e resinas, e transformados em óleos essenciais que são utilizados na prevenção e no tratamento de doenças físicas e psicológicas.

AS origens

Parte integrante da medicina alternativa, a aromaterapia existe há mais de seis mil anos, tendo sido activamente praticada nas antigas civilizações da Grécia, Roma e Egípcio. Aliás, o médico egípcio Imhotep recomendava o uso de óleos com fragrâncias no banho, nas massagens e, claro, no embalsamento dos mortos. O pai da medicina moderna, Hippocrates, seguiu os mesmos princípios e reza a história que terá realizado fumigações aromáticas para travar a praga em Atenas. Porém, o declínio do Império Romano levou ao desaparecimento destes conhecimentos aromáticos, que voltaram a dar que falar e cheirar por volta do ano 1000 d.C. na Pérsia. Nesta altura, os árabes iniciam a prática de destilação e o estudo das propriedades terapêuticas das plantas volta a ganhar força. Graças às Cruzadas, estes saberes regressam à Europa e, já em 1200 d.C. se produzia, na Alemanha, óleos essenciais com ervas e especiarias provenientes de África e do Extremo Oriente. Quando a América do Sul foi invadida pelos Conquistadores, a descoberta de novas plantas medicinais e óleos aromáticos foi impressionante e a verdade é que também no Continente Americano os índios nativos passaram a ser conhecidos pela confecção de bálsamos e poções à base de plantas medicinais. Apesar desta prática consistente, foi apenas no século XIX que os cientistas europeus decidiram dedicar-se ao estudo dos efeitos destes óleos essenciais no homem. A palavra “aromaterapia” é uma invenção do químico francês René Maurice Gattefosse que, em 1910, descobriu os poderes curativos do óleo de lavanda quando se queimou no seu laboratório de perfumes e, procurando um alívio imediato, mergulhou a mão num recipiente com óleo de lavanda. O alívio da dor foi imediata e o processo de cicatrização rápido, indolor e sem marcas posteriores. A partir daí dedicou a sua vida ao estudo dos poderes curativos dos óleos essenciais, tendo realizado vários tratamentos de êxito nos hospitais militares durante a I Guerra Mundial, experiências essas que documentou em diversos livros. Hoje em dia, a busca de uma forma de vida natural, com a mente, corpo e espírito em equilíbrio, aumentou a procura da aromaterapia.

SENTIDO DE OLFATO

Um dos cinco sentidos, o nosso poder de cheirar é, em si só, extremamente potente, com efeitos curiosos. Por exemplo, um certo aroma pode despertar memórias de infância bem guardadas ou o cheiro de determinado alimento pode abrir o apetite a uns ou provocar náuseas a outros. Quando inalamos óleos essenciais, as nossas células olfactivas são estimuladas e esse impulso é encaminhado para o sistema límbico – o centro emocional do cérebro – ligado à memória, à respiração, à circulação sanguínea e às hormonas. Na aromaterapia, as propriedades, a fragrância e os efeitos dos óleos essenciais estimulam estes diferentes sistemas. Da mesma forma que a ligação estreita entre o olfacto e o cérebro desencadeia um efeito indirecto no sistema imunitário, que potencia a capacidade do corpo se sarar a si próprio. Enquanto medicina holística, a aromaterapia é uma forma de auto-cura porque incentiva o equilíbrio interno do organismo, mas também se manifesta ao nível físico uma vez que os óleos essenciais são conhecidos pelas suas poderosas acções revigorantes, anti-oxidantes, anti-bacterianas, anti-virais, anti-fungos, anti-inflamatórias, ansiolíticas e anti-espásticas.

BENEFÍCIOS FÍSICOS, EMOCIONAIS E ESPIRITUAIS

Escolhidos os óleos essenciais apropriados (sendo, por isso, importante procurar sempre um profissional de aromaterapia), os benefícios são mais que muitos e sentem-se a diversos níveis.
  • Mente – tratamento de cansaço mental, stress, tensão, certas fobias, insónias e outras perturbações do sono; aumento dos níveis de concentração, memória e produtividade.
  • Corpo – as propriedades anti-bacterianas dos óleos essenciais auxiliam na cicatrização de feridas externas; actuam no melhoramento da circulação sanguínea, na drenagem linfática e na eliminação das toxinas do corpo; tratamento de doenças de pele, perturbações digestivas, desequilíbrios hormonais, dores musculares e de articulações; aumento dos níveis de energia e bem-estar geral.
  • Estado emocional – os óleos essenciais também podem funcionar como um anti-depressivo potente, ajudando a acalmar e a aliviar estados de nervosismo, tristeza, pânico, ansiedade e de depressão; aumento dos níveis de auto-estima e de auto-confiança.
  • Estado espiritual – a aromaterapia também é utilizada para aumentar os níveis de consciência, percepção e de comunhão com forças maiores, sendo ainda parte integrante na prática da meditação.

ÓLEOS ESSENCIAIS

Os óleos essenciais utilizados na aromaterapia são extraídos de plantas, flores, raízes, folhas, sementes, ervas, madeiras e resinas e, posteriormente misturados com outras substâncias – caso do óleo, álcool ou loção – o que permite a sua utilização de forma prática. Executado por profissionais especializados, o método de extracção é um processo moroso e caro: são necessários 100 quilos de pétalas de rosas para produzir 5 colheres de chá de um óleo essencial! Um processo que também encarece o produto final, no entanto, e como se utilizam poucas gotas de cada vez e os efeitos são altamente eficazes, o investimento é considerado válido.
Utilizados a solo ou misturando mais que uma variedade, os óleos essenciais estão divididos em três categorias, ou seja, conforme as suas “notas” ou índice de evaporação.
  • Óleos de nota elevada – os mais estimulantes e revigorantes, têm um aroma forte, mas o seu perfume dura apenas entre 3 e 24 horas. Alguns exemplos incluem: basílico, bergamota, salva, coentro, eucalipto, laranjeira-amarga, hortelã-pimenta e tomilho.
  • Óleos de nota média – actuam ao nível das funções corporais e metabólicas e, embora menos potentes, a sua fragrância só evapora passados 2 ou 3 dias. Alguns exemplos incluem: erva-cidreira, camomila, funcho, gerânio, hissopo, junípero/zimbro, lavanda e alecrim.
  • Óleos de nota baixa – o seu aroma doce e calmante, tem efeitos relaxantes no corpo e é a fragrância que mais tempo dura, até uma semana. Alguns exemplos incluem: cedro, cravinho, gengibre, jasmim, rosa e sândalo.

APLICAÇÃO

Na aromaterapia, os óleos essenciais têm múltiplas aplicações:
  • Externa – aplicado directamente na pele (diluído ou não), tratam feridas superficiais ou problemas de pele, activando, em simultâneo, os receptores térmicos do corpo, matando micróbios e fungos.
  • Interna – ingerido através da diluição em água ou adicionado à alimentação, activam o sistema imunitário.
  • Massagem/Banhos – largamente associados às massagens e banhos de aromaterapia, nestes casos os óleos essenciais são inalados, mas também são absorvidos pela pele, entrando no sistema circulatório que os transporta para os órgãos e restantes sistemas do corpo.
  • Difusão no ar – queimados como incenso ou colocados em recipientes ao ar livre, os óleos essenciais são captados pelas células olfactivas e direccionados para o sistema límbico.

A AROMATERAPIA É SEGURA?

Enquanto tratamento 100% natural, a aromaterapia só poderia ser segura! No entanto, existem sempre algumas precauções que não devem ser descuidadas, nomeadamente se é um principiante neste género de tratamentos. Antes de procurar a aromaterapia, informe e peça a opinião do seu médico de clínica geral. A aromaterapia não deve ser praticada por mulheres grávidas (alguns óleos como junípero, alecrim e salva podem provocar contracções uterinas); por crianças com menos de 5 anos (são muito sensíveis aos óleos); por pessoas com doenças crónicas; por pessoas com problemas de pulmões como asma, alergias respiratórias ou doença pulmonar crónica (podem causar espasmos respiratórios).
Salvo indiciação específica, os óleos essenciais não devem ser ingeridos; e deve evitar o contacto com os olhos e a boca; estando sempre atento a qualquer sinal de reacção alérgica.