Natureza viva!


Era uma terra fértil
de sementes puras
de frutos doces
e de verde intenso...
No seu veio, água pura e cristalina
corria ao sabor do vento
sob um céu de anil...
Sob este céu de anil
que ficou cinza
com a poeira do concreto 
e das fumaças negras...
Este céu sem cor,
que nasceu num futuro atômico
e ameaça toda uma civilização...
Vejo, hoje, correr
no seio da terra árida
um rio viscoso,
 de águas fétidas...
Nascem frutos de artifício
que não têm cor,
não tem sabor algum,
vão espalhando mortes...
Mortes de heróicas almas
que suplicam a vida
e sugerem Paz...
Paz que a natureza viva
pode dar ao mundo...
Paz sagrada da Esperança,
da Verde Esperança!

Jackie Régis

Comentários